sábado, 23 de fevereiro de 2013




MAIO EM TOM AZUL 


Em um dia qualquer, ao sol de maio ao sul,
Um poema brotará em papel nu;
Tal como brotam os amores novos
Até nos corações dorminhocos.

Que germine um poema que nos marque,
Como a idade pintada por Balzac;
Mas que não faça a morte vir tão cedo,
Porém, dela nos desvende o segredo.

Em um dia qualquer, em algum pomar,
Faça o poema o mundo saltitar,
Com a música dos ventos alísios.

E que nos faça reviver Vinícius,
Fidelidade, sem separação,
Nos amores que semeou Platão.

(Luciene Lima Prado) 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...