quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

DESARRANJO



Nem o campo nem o abrigo,
Nos momentos que não durmo,
Acolhem meu desaprumo.

A me firmar não consigo,
Segue-se o tempo em curvas,
Onde me entonteço.

Cada pensamento um tropeço,
Que se esfria nas chuvas;
Faço do que não quero meu transporte.

Nem a rua nem a cama;
Envolvida pelo fastio que me chama,
Eu, então, me calo e me dito a morte.


(Luciene Lima Prado)

24 comentários:

  1. Na desdita das nossas convicções a sombra nos vai ludibriando...

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  2. Tem dias que a gente se semte como maquina sem alinhamento,fugindo dos trilhos,se perdendo na bitola e paramos numa estação,que bem sabemos pode vir a ser nossa solução para seguir nesta rota num lugar que vai dar num lindo cantinho chamado esperança.Belamente inspirado este poerfeito soneto Lu.Meu abraço de paz e muita luz nos seus dias.

    ResponderExcluir
  3. Este poema parece comigo, me sinto assim muitas vezes. Amei Lu, muito lindo. Bom dia e beijos no coração querida.

    ResponderExcluir
  4. Contundente. Entretanto, deveras poético.

    ResponderExcluir
  5. Muito lindo seu poema,um lindo domingo pra você, beijos.

    ResponderExcluir
  6. A alma em desarranjo pede passagem... Nossa, que poema precioso!

    Um beijo procê, Luciene, boa semana. E inté!

    ResponderExcluir
  7. Oi Lu passando para lhe desejar dias de luz e paz,com suas belas inspirações.Meu abraço.

    ResponderExcluir
  8. Oi amiga, bom dia,estou passando para lhe desejar uma linda semana, e tudo de bom, beijinhos carinhosos no coração amiga.

    ResponderExcluir
  9. Sei que o meu parecer
    "não inflói nem contribói",
    Mas gostei muito mesmo!
    Abr!

    ResponderExcluir
  10. Oi cade voce? Saudades de seu poetar.Desejo paz e sorte.Toda graça e felicidades.Abraço de paz.

    ResponderExcluir
  11. Compo pode um potencial deste ficar guardado em gavetas?
    Bela semana,sentindo sua falta com suas belas inspirações.Vou lá no RL lhe ver.Meu abraço de toda admiração.

    ResponderExcluir
  12. Oi querida, cadê você. Tudo bem, passando para lhe desejar uma Feliz Páscoa. e muitos beijinhos carinhosos.

    ResponderExcluir
  13. Ah, Luciene,que chato ficar sem um potencial deste.Lamentavel que nesta coisa de internet as vezes temos alguns desabores que nos fazem pra baixo e sem fé.Mas ainda penso que voce nao deveria valorizar esta parte ruim, ou pelo menos nao deveria deixar de exercitar sua bela mente e inspiração.Fica com Deus e se puder e quando quiser volote,pois sei que muito ficarão felizes.Meu terno abraço de toda paz a voce e familia.

    ResponderExcluir
  14. Há dias e dias...! Temos é de dar coragem à coragem para não cair em depressão.
    «Nem a rua nem a cama;
    Envolvida pelo fastio que me chama,
    Eu, então, me calo e me dito a morte.»
    Poema muito bonito e...muito triste!
    Vá lá, vá lá querida, não se deixe enfraquecer.
    A sua escrita tem alma por excelência, prende quem a lê.
    Adorei conhecer seu blog.
    Bjito, uma flor e um sorriso de amizade para lhe dar força, ok?

    ResponderExcluir
  15. Belíssimos versos que nos encantam a alma de uma linda poetisa que nos encanta os olhos.
    Bjs.
    Di Amaral

    ResponderExcluir
  16. bem parece que a vida quer nos escapar das mãos, em caminhos tortos e misteriosos.....bem assenta a ideia de uma depressoa de alam, quando tudo parece perdido, ai vindo a morte como solução transformadora de tudo...

    ResponderExcluir
  17. Saudades deste lindissimo poetar.
    Escrevendo um livro?
    Quero o meu viu?
    Um abração de criança feliz amiga.
    Bju.

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Só a poesia torna a vida menos cara e o mundo suportável. Será ela o paraíso? Poetas são anjos, nesse caso, com a chave de seus herméticos portões.
    Eliane F.C.Lima (blogues "Poema Vivo", "Literatura em vida 2", "Conto-gotas").

    ResponderExcluir
  20. Oi minha linda, Esta lindo seu texto... Parabens!!! Beijos

    ResponderExcluir
  21. Oi Lu cade voce?
    Meu abraço e feliz 2012 a voce e familia.
    Volte com sua poesia.

    ResponderExcluir
  22. - Um poema escrito com carinho, pelas mãos de uma linda e bela poetisa "desencontro" traz versos unindo universos, cheio de afagos e carícias, um poema para entrar na MEMÓRIA E HABITÁ-LA: "nOS MOMENTOS QUE NÃO DURMO/EU ENTÃO ME CALO, E ME DITO A MORTE" a morte no ronda para aprender-mos a viver melhor. beijos.Mário Bróis.

    ResponderExcluir

Agradeço a todos pelos comentários! Tudo de melhor para vocês! Um abraço apertado!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...