domingo, 20 de maio de 2012

MADRUGADA


As minhas lágrimas secam,
Enquanto a tristeza permanece;
Nesta aridez constante,
É uma gota do meu suor
Que molha minhas mãos em prece.

 (Luciene Lima Prado)

8 comentários:

  1. Esta aridez constante e crescente é a questão amiga.Que seja feita uma oração.Muito lhe ver postando com sua arte bela.
    Carinhoso abraço e que a semana seja de novidades nesta luta terrivel.

    ResponderExcluir
  2. - Sem dúvida um póema pequeno, mas com enredode uma extrema grandeza. Mário Bróis.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Luciene. Seu cantinho é adorável. Obrigada pela visita ao blog star. Fico imensamente feliz por receber novos amigos! Belos poemas e imagem. Estarei passando por aqui! Bjos.

    ResponderExcluir
  4. TORNEI-ME DEPENDENTE QUÍMICO DE SUAS POESIAS E DE SUAS CRÔNICAS. E QUEM É A CULPADA? LUCIENE LIMA PRADO! VOCÊ É UMA POETISA, CONTISTA E CRONISTA PERFEITÍSSIMA.
    QUERO CONTINUAR COM ESTA DOCE E MARAVILHOSA DEPENDÊNCIA

    ResponderExcluir
  5. Lindos versos. As lágrimas secam e as preces aliviam a secura da alma.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Um pequeno e lindo poema sobre a profundidade da solidão, do silêncio que se mostrar em lágrimas.Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Lindo demais o seu espaço!...Que poesia maravilhosa!...Muita sensibilidade e talento! Parabéns!!! Quando quiser dê uma passadinha no meu blog!....Ficaria muito honrado! Bjs

    ResponderExcluir

Agradeço a todos pelos comentários! Tudo de melhor para vocês! Um abraço apertado!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...