sexta-feira, 8 de outubro de 2010

METAMORFOSE

Que diria eu a Gregor Samsa*,
Ao último adeus da esperança?

Culparia Kafka e todos os pensadores
Por terem se esquecido das flores.

Que diria eu a Gregor Samsa? O quê?
Que são de plástico as rosas do meu buquê?

Não me atreveria a matar inseto algum,
Pois carregam consigo nossa imagem em jejum.

Quiçá eu me calaria e tudo lhe diria num abraço,
Mas minhas falsas asas já não se abrem de cansaço.

(Luciene Lima Prado)

*Protagonista de “A metamorfose”, de Kafka.

Aos amigos que não me deixam desistir de escrever. Um abraço especial para minha colega de trabalho, Miralva.

4 comentários:

  1. Luciene, lindo post. Um bom final de semana para você, beijos no seu coração :)

    ResponderExcluir
  2. Lindo esse poema, é muito bom ler você, feliz domingo, beijos.

    ResponderExcluir
  3. Lindo este poema, flui naturalmente como uma musica suave e agradável.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Lindo poema Luciene, sou admirador do seu estilo poético. Força, saúde e proteção sempre. Heliojsilva.

    ResponderExcluir

Agradeço a todos pelos comentários! Tudo de melhor para vocês! Um abraço apertado!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...