sábado, 13 de novembro de 2010

CAMINHO OCULTO (vilanela)

O meu caminho está oculto,
A minha sombra não vejo,
Minha sorte é um impulso.

De longe percebo um vulto,
Em mim eu sinto um arquejo:
O meu caminho está oculto.

Quiçá eu consiga um indulto,
Porque no meio do cortejo,
Minha sorte é um impulso.

Meu destino acha-se avulso,
Que me causa grande pejo;
O meu caminho está oculto.

E quem vê em mim um ser culto?
Os meus fins são um trovejo,
Minha sorte é um impulso.

Um dia me tornarei adulto,
Mas fico só no desejo:
O meu caminho está oculto,
Minha sorte é um impulso.

(Luciene Lima Prado) 

2 comentários:

  1. O meu caminho é aqui. Que lindíssimo, Luciene! Abraços. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  2. Lindo seu poema, caminhos são incertezas e sempre procuramos nosso caminho.Beijos

    ResponderExcluir

Agradeço a todos pelos comentários! Tudo de melhor para vocês! Um abraço apertado!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...