quinta-feira, 23 de setembro de 2010

SEM PLACAS

As curvas das estradas são segredos,
Assim são as curvas dos olhos teus.

Por onde fores, levarás meus medos,
Mas nunca ouvirás o meu adeus.

Se curvas tu és, sou eu as linhas,
Ainda não traçadas em tua boca.

Nestas passagens que já as vejo fininhas,
Tua falta se reforça em minha vida tão pouca.

(Luciene Lima Prado)

7 comentários:

  1. A cada poema, mais te admiro!!
    Você é pura poesia!
    Beijo carinhoso minha amiga querida
    Bea

    ResponderExcluir
  2. Sempre a saudade a palmilhar estradas... sempre os sonhos deixando saudades...
    Lindos, Luciene...

    ResponderExcluir
  3. Lindo seu poema, parabéns e tudo de bom pra você.

    ResponderExcluir
  4. Um belo poema, Luciene. Amei as metáforas.

    Bjs, uma boa semana, e inté!

    ResponderExcluir
  5. Aqui estou a retribuir o seu apoio e o seu carinho. Gosto de tudo o que você escreve, pois você tem a alma de poeta e bagagem de vida visível para as reflexões que expressa. Lindo. Abraços

    ResponderExcluir
  6. Mais um belo poema LU.

    O Blog assim está lindo. Acertaste! rssss

    Beijo carinhoso

    ResponderExcluir
  7. Muito lindo o teu poema Luciene
    Gostei muito.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Agradeço a todos pelos comentários! Tudo de melhor para vocês! Um abraço apertado!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...