segunda-feira, 13 de setembro de 2010

SONETO IMPERFEITO


Perdido está meu penúltimo verso,
Dentro de algum caderninho disperso;
O último espero gerar entre meus dedos,
Os mesmos onde guardo meus segredos.

Eu tenho um poema não concluído,
Cheio de palavras, falho de sentido;
Uma poesia onde não posso me achar,
Onde se perdeu, em verso, o verbo amar.

Há quem espera um poema qualquer,
Do meu coração de triste mulher,
Feito com belas letras inclinadas.

Mas o que escrevi são horríveis rasuras,
(Nascidas nas minhas tardes escuras)
Donde surgem poesias inacabadas.

(Luciene Lima Prado)

3 comentários:

  1. Menina, Arnoldo me disse que eu ia adorar passar aqui e não se enganou.
    Teus poemas são lindos. Tou coladinha alí na sua lista e espero você nos meus cantos, dos Mimos e da Tarde de Música, é só clicar no link.
    Beijos, até logo.

    ResponderExcluir
  2. Esse soneto é belo e perfeito, parabéns. Estou feliz por seu blog, vejo que está melhorando bastante, abrindo horizontes.Beijos

    ResponderExcluir
  3. Podes continuar escrevendo tuas "horríveis rasuras", Luciene... vou sempre me encantar com elas...

    ResponderExcluir

Agradeço a todos pelos comentários! Tudo de melhor para vocês! Um abraço apertado!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...